* PAZ, HARMONIA e AMOR *

sábado, 31 de outubro de 2009

Comemorou-se o Dia Mundial do Cancro da Mama



A grande Amiga Luisa Martins pela experiência vivida faz neste texto um depoimento importante com a finalidade de alertar as Mulheres deste País em termos de prevenção!
Muito Grato e Beijos Luisa
José Manuel Brazão


Tenho-vos a dizer minhas amigas, que este dia é só um em 365 dias do ano, mas para todas nós mulheres, em todos eles nos devíamos preocupar com este assunto, ou melhor dar mais e melhor atenção a esta doença que mata milhares de mulheres em todo o Mundo.
Falando no meu caso, há 15 anos fui operada, fazendo uma mastectomia radical. Fui eu que detectei um nódulo na minha apalpação, que ainda hoje faço regularmente, ficando na altura, como é natural, muito apreensiva. Logo me pus com atenções redobradas e a tratar de imediato de fazer exames. Vejam só, tinha feito uma mamografia há cinco meses atrás e nada era visível. Ía de 6 em 6 meses á médica de genecologia, fazia todos os exames, e aconteceu.
Ficamos muito aterrorizadas quando nos é diagnosticada tal doença, mas digo-vos que depois da nossa cabeça só pensa na cura. Passa-se por estados e emoções muito fortes, mas tudo isso nos dá fé, força, alento, para continuar, acreditem.
Tudo isto para contar um pouco, só um pouquinho da dor que passei, passam e passarão várias mulheres em todo o Mundo, se não começarem a dar mais atenção a este assunto.
Ainda hoje já passados 15 anos, faço o meu “check-up” anual, e continuarei a fazer sempre, enquanto estiver viva.
Este meu pequeno texto é principalmente para chamar a atenção a todas as mulheres para efectuarem o “Rastreio”, que está ao alcance de todas, uma vez por ano. Não tenham medo. Se precocemente for detectada alguma anomalia é mais provável a sua cura, se não existir nada tanto melhor. Não tenha medo, pois detectado a tempo não será um pesadelo, mas sim um alívio.

Luisa Martins

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Rosas amarelas (nunca estarei só)!


São as rosas que gostas:
rosas amarelas!
Belas
como o teu olhar,
o teu sorriso.
Belas
como os teus gestos,
as tuas atitudes.
Belas
como o teu amor!
Vejo rosas,
rosas amarelas,
ao meu redor.
O seu aroma
é o teu perfume.
Perfume que não me deixa
e, tu que não me abandonas!

(pensando no meu filho João que nasceu em 6.OUT.1972 e partiu
na viagem necessária em 24.AGO.1997)


José Manuel Brazão

Imagem gentilmente concebida pela minha Amiga e Colega Maria Liberdade!

Saudade é um mal de que se gosta e um bem de que se padece !



Saudades! Quem as não tem?

Eu tenho as duas a que dei título.

Gosto de ter saudades de todos os que amo, daqueles que me amam, dos que gostam de mim, dos que me acarinham e que eu procuro corresponder de coração aberto.
Padeço de saudades por aqueles que amo e estão distantes de mim. Alguns, após estarmos juntos, já me deixam nessa situação: com saudades e ansioso pelo próximo encontro.
Por ti, João:

Sinto ambas. Gosto de ter saudades do meu filho, mas como te sinto muito próximo, não padeço tanto!
As minhas saudades por ti são uma cumplicidade com o silêncio e com o Universo!
Quando estou a editar e publicar o Blog és o meu companheiro, porque a flor e a cor que gostas é a rosa amarela. O logo deste Blog é um ramo de rosas amarelas.

Porque és o meu companheiro?
Quando abro o Blog olho logo para as rosas e vejo a tua imagem. Sorrio para ti e as rosas amarelas ficam mais viçosas...

Fica em Paz e com muita Luz

José Manuel Brazão

Amigos para sempre!


Amigos,
já não passo
sem vós!

Cada dia
quando acordo,
sorriu
porque vivo
e por ter amigos.

Grande família
Conquistada
- entre Amigos -
que me rodeia,
me conforta;
que me serena,
me dá forças,
acalenta
e me dá amor,
com seus gestos
e seus carinhos!

Que posso pedir mais?

Que Deus
me deixe continuar
o meu caminho,
sempre na companhia
do amor
e das amizades…

José Manuel Brazão

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Um dia talvez...!



Não há dia
ou noite,
que não pense
em ti…

Pelo teu sorriso,
pelas tuas palavras,
pela tua ternura,
sinto a tua voz,
a tua presença,
próximo de mim!

Um sonho,
uma esperança,
uma saudade
e uma ansiedade,
à espera
de um amor,
vestido de anjo,
que me leve,
um dia,
um dia talvez!

José Manuel Brazão

Os espelhos da Vida


A gente passa muito tempo pela vida sem perceber como o Universo em sua perfeição infinita nos dá tudo que precisamos para crescer, de uma forma precisa.

Fugimos léguas de nos olhar nos espelhos que a vida nos oferece a cada dia porque lá no fundo sabemos que ali vamos enxergar a nós mesmos...

E, às vezes, é muito mais fácil colocar a culpa de tudo que nos acontece nos outros a ter que assumir responsabilidade sobre o que experimentamos na vida...

Mas quando temos consciência que tudo aquilo que nos acontece é, de uma forma ou de outra, responsabilidade nossa, isso nos dá a possibilidade de mudar a nossa realidade.

Quando despertamos para o fato de que os acontecimentos ao nosso redor e, as pessoas também, são espelhos para partes nossas que não conseguimos enxergar, isso faz uma diferença enorme.

A partir de então, agradecemos ao Universo quando nos deparamos com coisas que nos incomodam, porque sabemos que ali, ao invés de incômodo, existe na verdade uma chave para que a gente se conheça mais um pouco... Não podemos mudar o outro... mas, sempre podemos transformar em nós o que nos incomoda no outro e isso muda tudo ao nosso redor, inclusive "os outros".

Não adianta fugir desses espelhos que a vida nos oferece para o nosso crescimento, porque eles sempre voltam, como outras pessoas ou situações, que vão refletir exatamente algo que pede por transformação e que vai fazer com que nossa consciência se amplie mais um pouco.

Quando nos abrimos para receber todo o aprendizado que a vida nos oferece vamos nos encantar como tudo pode se tornar muito mais leve e como esse aprendizado pode ser mais divertido.

Experimente jogar com vida... um jogo de crescimento.... Deixe de lado todo julgamento e os preconceitos e desperte a cada dia sabendo que existe algo para você descobrir sobre você mesmo e que as pistas vão vir através dos reflexos do espelho fornecidos pelas outras pessoas.

Não fuja dos espelhos... não adianta, porque você só está adiando um processo de curas profundas.
Lembre-se sempre: o que você vê de errado no próximo também existe em você, somos todos Um, portanto toda cura é autocura. Na medida em que você melhora o mundo também melhora. Assuma esta responsabilidade. Ninguém mais precisa fazer este processo, só você.

Quando há situações desconfortáveis, há uma técnica muito simples e interessantíssima, pelos resultados. Você diz: "Divino Criador, pai, mãe, filho em Um... Se eu, minha família, meus parentes e ancestrais ofendemos à sua família, parentes e ancestrais em pensamentos, palavras, atos e ações do início da nossa criação até o presente, nós pedimos seu perdão... Deixe isto limpar, purificar, libertar, cortar todas as recordações, bloqueios, energias e vibrações negativas e transmute estas energias indesejáveis em pura luz... Assim está feito."

Você assim neutraliza a energia que você associa à determinada pessoa, lugar ou coisa. No processo, esta energia é libertada e transmutada em pura luz pela Divindade. E dentro de você o espaço vagado é preenchido pela luz da Divindade. Então, nesta prática não há culpa, não é necessário reviver sofrimento, não importa saber o porquê do problema, de quem é a culpa, sua origem.

E, pouco a pouco, esse jogo de olhar no espelho da vida vai se tornando cada vez mais claro e mais natural... e vamos nos rendendo à infinita sabedoria do Criador que sempre nos proporciona o que precisamos... na hora certa... nem mais... nem menos.

Nelson Matheus Silva

Como um girassol




Procuro a luz
como um girassol.
Procuro a luz
que brilha o meu coração!
Parece distante,
mas está próxima...
Como um pássaro,
procuro-a:
Está dormindo,
sonhando com o mar...
O mar que a fascina,
onde tantas ondas,
deram em poemas...
Conheço esse mar
e envolvo-me
com as suas ondas;
regresso
para mais um poema:
não com rosas,
mas com girassóis!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O choro pode durar uma noite...


Pela noite
vem a magia,
o silêncio,
a reflexão!

Vem a a Lua,
com a paixão
e o amor!

Vem a nostalgia,
com a tristeza
e o choro!

Vem o sonho
de ideais, ambições,
lutas:
conquista ou derrota,
mas com a esperança
que o amanhecer
traga a alegria
de um novo dia,
que faça esquecer,
aquele choro…!

José Manuel Brazão

Poema baseado numa frase pública de NANDA Salles:
“O choro pode durar uma noite…
mas a alegria vem ao amanhecer…”

sábado, 24 de outubro de 2009

Acordai para o Amor!


Caminhamos,
distraídos
e indiferentes!

Que se passa?

Pessoas com fome,
barricadas na guerra,
guerra de interesses
e não de justiça,
pessoas carentes
da nossa mão,
da nossa fraternidade,
do nosso olhar,
do nosso amor.
Sim, Amor!

Acordai para o amor!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Amor distante e tão próximo


Aprendi na minha vida,
a amar distante e próximo!

Não sei distinguir
qual o mais intenso,
mas sei,
que basta ser amor,
para ser imenso!

Aprendi na minha vida,
a dar
sem nada pedir!

Darei a todos
pétalas de uma flor especial:
a Vida!


José Manuel Brazão

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Sinto-me só, mas...!



Sinto-me só,
mas eu compreendo;
sofrendo.
deixa-me sinais no meu corpo,
na minha mente.
Por vezes inquietante
e outras angustiante.
Fecho os olhos:
medito e recordo
o passado pouco distante,
vejo as imagens
dos amados que partiram;
vejo as imagens
dos amados que ficaram.
Nesse instante
não me sinto só!
Mas preciso de viver,
amando e ser amado,
por aqueles que pairam
comigo neste cativeiro terreno
e pelos outros que já pairam
ainda sem mim num mundo mais feliz!
Assim sente:
meu corpo e minha mente!

José Manuel Brazão

domingo, 18 de outubro de 2009

Naquele dia…desabou o Mundo em mim!


Domingo
manhã cheia de sol,
pedia passeio matinal.
Parti para o passeio habitual.

De repente,
dor aguda inesquecível,
transformou aquela manhã
cheia de sol,
numa tarde gelada,
numa noite estrelada.

Tarde gelada
sem destino!

Noite estrelada
pensando que na casa celestial
o João me esperava.

Não parti
e naquela hora
tão pouco nos separava!

Alguns choraram,
mas não chore quem me amam.
Nunca me senti tão sereno,
tão bem comigo!

Antes só pensava no futuro
e ficava inseguro!


O dia chegará, quando não sei!

Gostaria que fosse o João
a receber-me:
tanto amor me daria…!

9 de Dezembro de 2001
José Manuel Brazão

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Ele e a Luz apareceram!


Como eu sofri
Por esta causa!

A dor
dos que sofrem,
deixa-me
em angústia profunda!
Sinto-me
em luta sem fim,
para ajudar,
procurando a esperança,
um gesto divino!

Eis
que chegou!

Não sei se sorrir,
se chorar!

Mas sei
que Ele me ouviu
e agradeço-Lhe…
por me ouvir,
pelo gesto divino!

José Manuel Brazão

Pobre Poeta... do amanhã!


Escreve
como se sonhasse,
se vivesse
num mundo de encanto,
de ternura e amor!

Escreve
para alimentar a alma
de quem o lê,
recebendo
gestos de amor!

Escreve poemas
para aliviar os dilemas;
os seus
e dos outros…

Se não escrever,
morrerá a alma do Poeta,
ficando apenas:
um homem,
uma vida
e um pobre Poeta
agonizante…

Apagam-se as luzes…
Mas ficou a honra
e os seus poemas!

José Manuel Brazão

* Aos Poetas para quando já não houver “aplausos”, fica nossa Poesia. Até lá sejamos dignos desta nobre Missão! *

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Ao encontro dos meus anjos na Terra e no Céu



Nesta passagem pela Vida já fiz um longo caminho acompanhado de convergências, divergências, alegrias e tristezas, sempre com a vontade de melhorar como alma, superando provações que me são propostas e aumentando o meu saber para que isso me proporcione: ajudar os outros!

Um dia ia nesse caminho muito belo da Natureza e senti-me acompanhado por um anjo do Céu. A minha mente sentiu quem era!

Pareceu-me que o caminho se percorria melhor. Fomos andando e ao longe avistei mais claridade, uma luz forte que só me permitia ver uns vultos vindo ao meu encontro, ficando logo com grande curiosidade e ansiedade!

Apressei-me e eles correram na minha direcção.

Ouvi vozes dizendo: avôôô!!! Paiii!!!

Eram os meus Netos Catarina e João Afonso e os meus Filhos Pedro e Paulo!
Corri para eles e abracei-os longamente. Chorei de alegria e de emoção.

Mas o meu quadro de anjos mão estava completo e olhando para o Infinito estendi meus braços, alonguei-os muito e abracei o anjo do Céu no seu descanso divino: o meu filho João!

Que consolo senti e que energias recebi!

Afinal o anjo do Céu que me acompanhava nesta etapa do meu caminho era o meu filho João!

Que maravilhoso encontro com os anjos…

Hoje e agora voltaria a percorrer o mesmo caminho…

José Manuel Brazão

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Recordando...



… mas um dia serás…

Como eu vivo
nesta imensa rebeldia,
de procurar
tudo o que é difícil
para conquistar!

Percorri
um longo caminho,
com pedras,
muitas pedras,
que retirei
uma a uma,
para chegar até aqui!

Parei
à beira desse caminho,
recordando imagens,
que ora sorria,
ora entristecia!

Pensei
se teria encontrado
o ser feliz!
Senti silêncio,
mas daí a pouco,
veio uma Luz
em forma de mulher,
que me disse:
…mas um dia serás…

José Manuel Brazão

Este poema é baseado: um dia interroguei se algum dia seria feliz e aí a minha Amiga Nanda salles disse: ... mas um dia serás ...

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Amor e simpatia


Cada vez que me junto com Amigos e Colegas na Poesia aparece em mim uma alegria indisfarçável!

Renasce aquela onda de simpatia que naqueles floresce sem darmos conta!

Fica naquele momento a saudade de um novo encontro!

Na minha visão da convivência sã, paira por ali a admiração, o respeito e o amor que nos une!

Beijos e Abraços

Do Zé
José Manuel Brazão

domingo, 11 de outubro de 2009

Na casa dos meus Pais


Desde miúdo que me lembro de ver na porta de entrada da casa dos meus Pais um azulejo com a seguinte inscrição:

“ Tem minha casa um brasão
d’entre todos o mais nobre;
receber sem distinção
tanto o rico como o pobre. “


Portanto desde sempre fui educado e me habituei a encarar a Vida em que todos somos iguais e todos somos diferentes.

Desde miúdo que me “cheirou” a Poesia na casa dos meus Pais!

A casa já não é nossa, o azulejo sem paradeiro, mas os princípios de vida mantêm-se!

José Manuel Brazão

sábado, 10 de outubro de 2009

Agora e sempre!


Sempre juntos
na Vida!

Unidos
pelo sangue,
pelo querer,
por uma vida comum,
pela sensação
dum viver,
que nos sensibiliza
sem limites,
com toda a nossa força;
uma força interior!

No pensamento
o amor
vivido em décadas,
sempre crescente,
acalentando em cada um,
o melhor para o outro!

O sol, a Lua e Ele
nos sorrirão,
até que um dia…
… ficaremos
irmãos eternos,
hoje aqui
e num amanhã Além!

José Manuel Brazão

No meu pensamento o meu Irmão, agora e sempre!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Dignidade da Mulher


Sou contra os dias internacionais de qualquer coisa!

Entendo que essa tentativa de “homenagear” a criança, a mulher, a paz e outras coisas mais, é um atentado à dignidade de cada pessoa envolvida e um “vendaval” de hipocrisia!

Não concebo, existirem dias diferentes para se transmitir solidariedade, amor, presença, carinho e uma coluna enorme de gestos e atitudes!

Eu não pactuo com esta discriminação, que se transforma nos dias seguintes em segregação!

Em Poesia eu tenho escrito muito sobre a mulher, procurando no meu estilo prestigiá-la e dignificá-la!

E é isso que farei hoje. Não me alheando da Poesia será mais um dia – como tantos outros - que escreverei sobre a Mulher como a Natureza a enviou a este Mundo!

Encanto, muito encanto …

Encanto,
muito encanto!

Quando vejo
o teu sorriso,
sorriso radioso,
vem vestido de branco.

Olhas-me
e sorris
generosa comigo,
como se há muito
fosse teu amigo!

Encanto,
muito encanto!

Já penso,
que ficará saudade,
quando partirmos,
seguindo nossos caminhos.

Ficará a amizade
a ternura, com:
encanto,
muito encanto…

José Manuel Brazão

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Vieste!


Sinto à minha volta
a solidão.
Não a solidão
para estar só.
Mas a solidão,
de ficar só.

Apareceste,
vieste,
para não ficar tão só.
São amigos de verdade,
os poucos que me ajudam
e estão presentes,
na realidade.

Não peço muito:
é doce,
é consolador,
ter por perto
ou em pensamento,
gente com sentimento,
que dão amor,
muito amor…

José Manuel Brazão

A Amizade, um poema!


A amizade,
é uma palavra
que nasceu com Luz,
para iluminar
os que acreditam
e a praticam!

A amizade
é uma palavra
para ser entendida
nos gestos,
nos sentimentos!

A amizade
é uma palavra
para ser vivida
com nobreza!

A amizade
reflecte beleza,
vestindo um poema!

José Manuel Brazão

O Amor...


O amor
é um sentimento
para viver
e fortalecer!

O amor
é vida!
Não é teatro,
para haver ensaios!

O amor
não é um lamento,
mas uma convicção
em que fala o coração!

Sem amor
a vida não faz sentido!

José Manuel Brazão

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Tu e Eu: uma vida constante...



Rosas amarelas (nunca estarei só)!

São as rosas que gostas:
rosas amarelas!
Belas
como o teu olhar,
o teu sorriso.
Belas
como os teus gestos,
as tuas atitudes.
Belas
como o teu amor!
Vejo rosas,
rosas amarelas,
ao meu redor.
O seu aroma
é o teu perfume.
Perfume que não me deixa
e, tu que não me abandonas!

Pensando no meu filho João que nasceu em 6.OUT.1972 e partiu
na viagem necessária em 24.AGO.1997


José Manuel Brazão

Desespero


Quando uma pessoa está na fase de desespero é porque perdeu a esperança, o alento e por aí fora…

A sua mente está confusa e reflecte-se no próprio corpo tornando-se doentio.
Vivendo com esperança e alento ganhamos forças para enfrentar os obstáculos e as contrariedades que se nos deparam no nosso caminho (Vida).

Já passei por isso e notava que perdia o discernimento, andava perdido sem saber como dar a volta. Se era 2ª feira e tinha um caso para resolver na 4ª feira, naquele dia começava a martirizar-me sobre o assunto. Quando chegava o dia encontrava-me esgotado e sem o assunto resolvido.

Alterei a minha forma de estar na Vida e grande parte dos meus comportamentos ajudaram-me a viver!

Hoje, vivo um dia de cada vez, não pensando no ontem, mas no hoje e, amanhã logo será!

Sou um homem com esperança, mas sempre!

Agora a vida é para mim uma coisa bela e por isso, também por isso ganhei muitos afectos e carinhos de pessoas que conheço pessoalmente e de outras que apenas me contactam.

Existem pessoas que vivem muito mal, algumas até confrontadas com a miséria.

O que fazem elas: Não desesperam; esperam …

Com esperança e saudades do futuro!

José Manuel Brazão

Continuamos a Vida...


Até ao presente existiram cinco grandes momentos felizes na minha vida. Refiro-me aos nascimentos dos meus Filhos e dos meus Netos. São dias memoráveis que ao longo do tempo faz crescer o Amor que só um pai e uma mãe sabem sentir ou descrever. Em 2003 e , a propósito, escrevi um poema e do qual citarei uma parte:

"Procuras o teu caminho,
com convicção,
à busca da felicidade.
Procura;
não desistas.
Verás a luz do teu caminho!"

Com isto pretendo que estas palavras sejam uma mensagem futura para Filhos e Netos.
E a Vida continua ...
Nós continuamos a Vida!

José Manuel Brazão

Calor humano


De facto, pensamos no nosso conforto e alheamo-nos do que se passa com os fragilizados, os desamparados ...!

Pela minha parte sempre me preocupei com os que estão pior do que eu. Aprendi com o escritor brasileiro Paulo Coelho o simbolismo e a força que dá à palavra guerreiro .

Existem poucos guerreiros interessados em mudar as coisas. Mas com a persistência os poucos passarão a muitos, para as novas gerações testemunharem um mundo melhor que não envergonhe as actuais da herança que vão deixar.

Continuando o meu caminho serei um guerreiro com a atitude e a palavra, envolvidas por convicção .

José Manuel Brazão

Amor não será vadio...


O amor
viverá comigo,
Aqui ou Além!

Andarei por aí,
vivendo
e convivendo
com o mundo.

Serei guerreiro
por mundo melhor,
onde as minhas mãos
até doerem
clamem mensagens:

amor sem hesitação
amor em silêncio,
amor, para onde me levas,
amor pela noite,
amor calado,
amor na minha mão,
amor sem limites,
derramo amor,
o amor dá-se,
espero-te,
amor pela noite…

…e tantos outros amores
que saem das minhas mãos
e do meu coração;

comigo:
amor não será vadio…

José Manuel Brazão

Amigos para eternidade!


Recordo este caminho,
de mãos dadas,
sorrindo,
felizes à nossa maneira,
entre alegrias
e tristezas,
vivemos cada dia,
como o nascer do sol!

De mãos dadas,
fortalecemos esta amizade,
linda, verdadeira,
que faz de nós
amigos para a eternidade!

José Manuel Brazão

Amigos


Caminho, caminho,
cada vez mais só!
Penso e sinto,
que poucos me restam,
neste plano terreno.
Quero estar sereno,
mas não consigo.

Apenas me anima,
que os poucos,
valem mais que muitos!

Quando o caminho chegar ao fim,
esperem por mim.
Eu também esperarei por vós
e nesse mundo diferente,
estaremos atentos,
com a alma presente,
naqueles que não perdoam,
não toleram,
não se humilham,
nem sabem,
se gostam de si próprios.
Apenas se arrogam,
se toleram
e se perdoam.
Temos de nos amar,
para os outros:
amar, tolerar e perdoar!
Já não passo sem vós!

José Manuel Brazão

Afectos por onde andarão?


Parecem perdidos,
por onde andarão?
Eu tenho os meus
e dou ao próximo
sem pedir nada.

Muitos
Carecem deles.
Outros
Sabem como dar!

Neste desencontro,
paro e penso:
que mundo assim?

Vejo uma Luz
e agradeço:

É a esperança
Dos afectos
que não me abandona,
para que haja
tolerância, compreensão,
solidariedade, compaixão.

Que as crianças
Cresçam nos afectos!

Assim haverá amor!

José Manuel Brazão

Abro-me ao Mundo



Sonhando


vou por aí,

sinto-me

entre a terra e o céu!



Percorro

montes e vales,

rios e oceanos,

países e continentes.



E o que vejo?



Fome e miséria,

iminentes mortes.



Bem –estar,

muito bem-estar,

ignorando os carentes.



Atroz egoísmo

num planeta

com guerras,

ódios, invejas;

amor onde paras?



O sonho

vai partindo

e deixa-me a imagem

de que existem dois mundos!!



José Manuel Brazão

Derramo Amor!




Não chega dar amor,
derramo amor…

Dou o meu corpo
e a minha alma,
por este mundo,
intolerante e indiferente
que me faz impaciente.

Uso a palavra,
como um grito dorido,
que ecoe pelos céus,
atravesse continentes
e abane os “inteligentes”!

Não descansarei:
pelas novas gerações,
pelo seu futuro!

Que lhes deixamos?
Inveja, cobiça,
ódio …

Minha esperança
empobrece,
mas ganharei forças
e continuo,
continuarei derramando amor,
pelos nossos filhos,
pelos nossos netos …

Acompanhem-me…

José Manuel Brazão