* PAZ, HARMONIA e AMOR *

sábado, 26 de dezembro de 2009

Existe um Poeta jovem



Existe um homem idoso,
pelo caminho percorrido,
cansado pela luta.
Por vezes divertido,
outras pesaroso.
Esperançoso
pelo dia de amanhã,
enfrentava teimoso,
o que a vida parecia negar.
Solitário nesta viagem,
procurava amizades
e sentia saudades,
dos fieis amigos.
Procuram-se!
Existem poucos,
mas o suficiente,
para a minha teimosia:
a Esperança!
Existe um poeta jovem,
que aprendeu
e continua a aprender
a vida sentida
e não pensada!
Escreve as palavras
com o poder da verdade;
com a cultura da vida.
Escreve as palavras
de coração aberto,
sendo mensageiro do alento
e do alimento da Alma.
Se conseguir:
não existe o homem idoso.
Continua a existir o poeta jovem.

José Manuel Brazão

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Um Natal sem vós


Noite fria,
silenciosa,
eu aqui
de corpo gelado,
mas o coração quente!

Penso,
penso muito
em noites destas,
que passaram
e não ficaram!

Penso muito
nos que partiram,
e nos que ficaram!

Penso ainda
nos que estão longe,
que me apetecia beijar,
dizer-lhes
quanto os amo,
quanta saudade
que corre em mim!

Natal
após Natal
e não verei,
quem queria!

Olho fotos
os meus olhos
sempre postos
no sorriso
de crianças…

Uma lágrima corre,
molhando a angústia,
a tristeza
no vazio do meu coração!

José Manuel Brazão

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Noite de Natal


Triste
e amargurado,
faço o meu caminho,
com mais dificuldade,
parecendo atordoado!
Estou num deserto
ao cair da noite,
não vejo ninguém,
por perto.
Olho ao meu redor,
vejo pegadas na areia.
Fico ansioso
porque as pegadas:
são as minhas pegadas.
Que dor, Senhor!
Palpita meu coração,
que procura
a minha dignidade,
não por compaixão,
mas por solidariedade.
Pura desilusão,
para quem respeita,
o amor,
o solidário amor…

José Manuel Brazão

sábado, 5 de dezembro de 2009

A força da palavra



É impressionante a força que cada palavra traz consigo! Com a vibração que cada uma carrega, transforma a atmosfera reinante naquele momento, mesmo que seja por um momento fugaz! Cada verbo, independente do número de letras que tenha, transporta com ele sentimentos, lembranças, um mundo infinito de idéias, que embora seja numa fração mínima de segundos, toca a quem o ouve e o transforma.
Assim, palavras como Amor, Carinho, Perdão, Paz, nos conectam com locais suaves e serenos de nosso Ser. Guerra, Agressão, Violência, Tristeza e tantas outras, com pontos de dor em nosso íntimo. Vale a pena observar isto e perceber como podemos mudar a nossa vida e melhorar a dos outros, a depender do que nos dispomos a falar, ou a calar...

E como falamos, sem parar, tanta coisa sem nexo, tanta coisa sem real importância, vamos semeando confusão e perturbação em torno de nós, muitas vezes sem nos darmos conta disto. Os grandes sábios que já nos visitaram neste plano sempre louvaram o poder do silêncio e a importância da palavra.

A propaganda, impulsora do capitalismo, nos bombardeia com idéias nem sempre verdadeiras, os meios de comunicação espalham notícias poluídas pela desesperança e desânimo e nós nos sentimos alquebrados, muitas vezes, sem nos darmos conta do porquê disto. E vamos passando adiante as notícias tristes que ouvimos e, com isto, colaboramos com o Mal, pois ajudamos o Medo a ir se instalando mais e mais nas mentes de todos, num movimento doentio e perigoso! Quando estamos medrosos, abandonamos a nossa força, nos desanimamos, afastamo-nos do Amor, de nossa Fonte de Vida.

Cada fonema é uma vibração, um som, traz harmonia, ou desequilíbrio... O tom de nossa voz, quando falamos, também emite, ou não, boas vibrações... Pessoas há que até pelo telefone nos fazem mal, pela forma dura com que pronunciam as palavras. Outras nos acalmam como num passe de mágica, pois ouvi-las é agradável, terno, sereno, tranquilizador.

Acho que precisamos nos defender da balbúrdia reinante, desta pressa desestruturante que nos arrasta de roldão sem que saibamos sequer para onde, de canais de televisão que noticiam apenas o que nos deprime e nos faz sofrer. Se todos nós fizéssemos isto, deixássemos de assistir determinados programas, por estarmos conscientes do mal que nos fazem, o IBOPE acabaria por levá-los a se modificar. E o pior é que nem todos os que assistem à televisão têm consciência crítica, pois muitos são crianças, na idade, ou no espírito.

Enfim, sabemos que viver neste nosso mundo tecnológico tem suas vantagens, mas é também muito difícil! Cultivar o silêncio em meio a tantos sons e ondas emitidos por tantos aparelhos diferentes, por tantas mentes desequilibradas, não é brincadeira, exige esforço e atenção, mas é necessário, para nossa sobrevivência e salvação.

Muitas vezes, enquanto sorrimos apenas com os lábios, procurando demonstrar algo que está longe do que estamos sentindo, nosso Ser está chorando...
Cultivando mais o calar, teremos mais cuidado no falar. Assim, cada palavra terá um sentido verdadeiro para nós, abrirá um caminho, construirá uma ponte, restaurará uma relação, fará uma aliança, aliviará uma dor, plantará uma semente de amor.

O olhar comunica com muito mais sinceridade... Mas poucos prestam a devida atenção a ele. Os gestos, também. Mas, as palavras, por serem mais fáceis de serem percebidas, podem destruir muito mais! Que elas não saiam de nós sem uma reflexão, sem caridade e sem uma intenção boa, ou estaremos trabalhando para o Mal e, consequentemente, isto receberemos em troca, por causa da lei infalível de Ação e Reação.

Que nossas palavras criem uma música harmoniosa que ajude a espantar de vez a tristeza e a doentia paisagem atual de nosso planeta!

por Maria Cristina - tina.lc@hotmail.com
Site Somos todos UM

O dia a pensar em ti!


Hoje tem sido um dia que não sai da minha mente a tua imagem!

Penso sempre em ti, mas hoje tem sido uma constante!

Fui ver fotos, recordei memórias e li poemas que te dediquei.

Foste uma mulher como tantas outras que se dedicam à Família e aos outros!

Mas tu minha Mãe não foste devidamente retribuída pelo que desta da tua Vida!

Partiste no teu momento, nem pude dizer adeus!

Esse Adeus anda comigo dentro do meu coração e é esse bálsamo, que me faz entender e ajudar os outros!

Eu sei que estás serena e que podes contar comigo aqui na Terra!

Ivone, Mãe querida

Muita Paz e Luz


José Manuel Brazão

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Só Deus sabe...


Vejo-me
pensando, pensando,
em momentos da Vida,
porquê?

Passar
momentos dolorosos,
em que tudo corre mal…

Passar
Momentos generosos,
em que tudo corre bem…

Equilíbrio no destino,
esperança
de dias diferentes,
um amanhã, talvez!

Só Deus sabe …

Eu espero …

José Manuel Brazão

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Naquele dia…desabou o Mundo em mim!



Domingo
manhã cheia de sol,
pedia passeio matinal.
Parti para o passeio habitual.

De repente,
dor aguda inesquecível,
transformou aquela manhã
cheia de sol,
numa tarde gelada,
numa noite estrelada.

Tarde gelada
sem destino!

Noite estrelada
pensando que na casa celestial
o João me esperava.

Não parti
e naquela hora
tão pouco nos separava!

Alguns choraram,
mas não chore quem me amam.
Nunca me senti tão sereno,
tão bem comigo!

Antes só pensava no futuro
e ficava inseguro!


O dia chegará, quando não sei!

Gostaria que fosse o João
a receber-me:
tanto amor me daria…!

9 de Dezembro de 2001
José Manuel Brazão

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Não sei para onde vou...



Não sei para onde vou!

Mas que seja um sítio,
com paz,
harmonia
e amor.

Que se acabe a dor
que trago dentro de mim,
as tristezas,
as angústias.
Que relembre:
os momentos bons
a quem dei amor,
em troca de nada.

Estar bem comigo
e com Ele …

José Manuel Brazão

Bela Reflexão feita poema!
Ah!O que eu senti ao ler-te...
Eu sou uma pecadora...
não poderia ter o mesmo sentir dos últimos versos:
" Estar bem comigo
e com Ele"
Por isso chorei!

Beijos querido poeta!
Cristhal

domingo, 29 de novembro de 2009

Num momento espiritual



Estava eu no lançamento de livros de dois Poetas, meus queridos Amigos e logo no início abri um dos livros e deparo com o poema “Foi” que conheço muito bem, porque através da sua Autora soube do sentir daquele poema, a sua forma expressa.

Um lindo poema de amor, de gratidão e envolvido em prece!

Reli e a partir daí fiquei com uma sensação estranha, mas gratificante. A voz do meu coração alertava-me para qualquer coisa: uma necessidade, a chegada de um momento! Um sinal!

Durante a sessão o meu corpo e a minha mente ficaram ansiosos!

Perto do final perguntaram se alguém queria ler um dos poemas: meu braço direito elevou-se rápido e convictamente sinalizando o meu interesse!

Serenamente desloquei-me para junto da mesa do auditório e aguardei!

O momento de dizer o poema senti uma força interior, que dispensava microfone! Não preparei a leitura do texto; olhos a plateia e expliquei que na Vida existem oportunidades que não devemos perder pois elas não repetem!

Olhei todos e vi-os muito próximos!

Senti a minha voz ecoar naquela sala e o poema saía com naturalidade!
Cada vez me sentia mais sereno! Vi a sala com muita Luz e todos me pareceriam atentos!

O poema termina assim:

Mas que vivida em trio,
com harmonia e mestria,
me souberam sempre dizer…
AMAMOS-TE.

Ergui os olhos e virando-me para a Autora disse-lhe: eu também a amo!
Envolvemo-nos num abraço espiritual!

..........

Respirou-se amor naquela sala!


..........


Saímos cada um para as suas vidas e eu jamais esquecerei aquele momento; para mim momento espiritual!

José Manuel Brazão

Como é bom!



Como é bom
saber
que me acordas,
me dás a tua bênção,
para um dia feliz!

Como é bom
saber
que à noite
não te deitas,
sem me enviar
os teus anjos
para uma noite feliz!

Como é bom!

José Manuel Brazão

Pensando nos meus Anjos no Céu e na Terra

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

2012 A ESPERANÇA!



Mais uma vez somos confrontados com profecias, oráculos, previsões e visões do Fim do Mundo. Quantas já existiram no decorrer da existência humana? “ A 2.000 chegarás de 2.000 não passarás!” Recordam-se?
2012 aparece-nos de forma mais elaborada. Para além de um filme comercial, vários livros e documentários de TV apresentam esta teoria catastrofista como uma evidência suportada em pareceres científicos. Confirmada por Oráculos Chineses (I Ching), textos Bíblicos e na base O Calendário de Contagem Longa Mesoamericano – Calendário Maya – que se encerra no dia 21 ou 23 de Dezembro de 2012. Não esquecendo os sistemas informáticos Webpod´s que através dos seus modelos de busca “aranha” chegam à mesma conclusão – 2012 O Fim do Mundo.
Haverá algum ser sobre a terra capaz de conhecer os pensamentos de Deus ou as intenções do Universo?
Falamos em base científica, de um alinhamento galáctico, associado a um aumento de actividade solar. Não será essa mesma base científica que assume conhecer apenas 2% da complexidade do Universo? Será a mesma que tão prontamente questiona a existência de Deus mas debate-se quanto à explicação da nossa própria existência. De onde descende a humanidade? Dos elementos químicos? Dos mares? De uma estirpe de primatas? Continuamos a não ter explicações. E quanto à complexidade da nossa actividade cerebral? Mas, no entanto, temos dados seguros, sobre o fim da nossa civilização...
Desde o surgimento do Homo que nada provocou a sua extinção e já se passaram várias Eras Glaciais. Será porque somos seres divinos?
A comunidade científica acredita podermos estar em vésperas de uma nova, uma Era Glacial, já que, em média, o planeta experimenta 10.000 anos de era quente a cada 90.000 anos de Era de Gelo. (Wikipédia). A acção humana tem provocado um aquecimento acelerado quando deveríamos estar a iniciar uma nova Era do Gelo…
O que sabemos é que os humanos têm a capacidade de se recriar! Assim tem sido a nossa evolução através dos tempos. Dos primeiros sons, recriamos a fala e a música. Dos primeiros movimentos, andamos, corremos, dançamos, migramos, inventamos e voamos. Hoje, a ciência noética vem confirmar que o pensamento humano interage no mundo físico, na matéria, transformando-a, bem como o poder das meditações e das orações. Os antigos já falavam de “Consciência Cósmica”, de uma vasta união de intenções. Este é o fulcro da questão. Queremos pensar em 2012 como o final dos tempos, o grande apocalipse, ou no começo de uma nova Era abundante em afectividade?
Estas teorias cataclísmicas sobre o ano de 2012 poderão servir positivamente para o seguinte exercício: se, de facto, o mundo terminasse dentro de 3 anos, que vida desejaremos levar até lá? O caminho até hoje percorrido, a postura de vida adoptada, como nos posicionam quando confrontados com os olhos da nossa alma? Desviaremos o olhar, por vergonha, ou seremos assolados por uma grande comoção? Estaremos em paz ou aflitos? Teremos a serenidade dos justos ou a inquietude dos desvalidos?
Se nos restasse apenas 3 anos, que postura de vida adoptaríamos? Este poderá ser um bom exercício pedido à Humanidade! Que se liberte do que não eleva o Espírito Humano!
Eu acredito numa nova Era abundante em harmonia, amor e felicidade. De lembrar, que o pensamento interage no mundo físico, nós somos aquilo que pensamos, a nossa vida é a reprodução dos nossos pensamentos. Acredito numa nova Era fraterna porque descendo de um povo que, ao acreditar, mudou toda a dinâmica do planeta e da vida até então conhecida. Onde todos os Grandes Impérios e Civilizações viram barreiras, nós vimos oportunidades e assim ultrapassamos a grande “fronteira” atlântica. Onde todos viram o fim, nós vimos o início. Onde todos diziam, incluindo os cientistas da época, que o mundo terminava, nós provamos a existência de novos mundos. Quando o Cabo das Tormentas era considerado a extremidade, o fim do mundo, nós transformámo-lo em Cabo da Boa Esperança e apresentamos à humanidade novas existências humanas noutros Continentes, até então inimagináveis. Este foi o papel de Portugal. Como portuguesa, tenho o dever de acreditar haver um novo mundo muito melhor à nossa espera, ou não estaria a honrar os meus antepassados.
Enquanto existir o cândido riso de uma criança, haverá um grito de esperança para a humanidade.
Quem sou eu?

Apenas Lygia, uma das vossas muitas irmãs.

Lisboa, Novembro de 2009

Fome



Existe! Mas desconhecemos a sua dimensão!

Um malefício antigo evitável por duas fontes!

Os Estados distraídos com as megalomanias e os Homens com o seu egoísmo trucidante e a olharem somente para o seu “umbigo”

Porventura no dia que lhes bater à porta saberão que ELA existe!

E vai doer-lhes! Muito!

José Manuel Brazão

CORAGEM PARA SERMOS NÓS MESMOS



Onde ficamos nós, os verdadeiros nós, escondidos, em meio a todo este cenário? Onde fica a nossa verdadeira essência misturada a todas estas personagens que nos são atribuídas ou que nós mesmos assumimos, sem perceber? Onde fica a nossa real história, abafada por tanta ilusão e tanto espetáculo?

Cada um de nós tem, dentro de si, um universo de emoções, sentimentos e idéias, mas falta interesse em conhecer este universo, falta coragem para encará-lo de frente e conhecê-lo de fato, falta coragem para entrarmos em nossos próprios porões para caçar nossos próprios fantasmas.

Aqui e agora somos apenas uma ínfima parte de tudo o que trazemos em nossa essência e não podemos nos basear no que vemos e sentimos nessa situação para calcular tudo o que faz parte da consciência que realmente somos, para muito além da personalidade que assumimos hoje.

O que somos hoje, ou o que vemos e percebemos de nós hoje, representa tão pouco da riqueza que trazemos em nossa essência, que qualquer conclusão, qualquer dedução que façamos, com base apenas em dados presentes, será incompleta, injusta e parcial.

A única verdade de que podemos estar seguros é a de que somos ESPÍRITOS e, como tais, passamos por inúmeras encarnações, tentando resgatar aquilo que realmente somos: seres espirituais.

Somos todos como imensos quebra-cabeças, cujas peças são todas as encarnações que já tivemos a oportunidade de experimentar. E, em cada peça, há um segredo, uma chave que nos permitirá encaixá-la perfeitamente ao conjunto, tornando-o cada vez mais harmônico e compreensível.

Muitas vezes, as peças parecem não se encaixar; em outras, parecem-nos estranhas e alheias, partes de outros quebra-cabeças; e há ocasiões em que sentimos como se todas as peças estivessem com defeito e já não servissem para mais nada.

No entanto, nenhuma delas é inútil, nenhuma se perde. Todas elas são parte do todo e nenhuma pode faltar para que haja coerência e coesão naquilo que verdadeiramente somos.

É fato que vivemos parcialmente alheios a este conjunto imenso e quase que completamente esquecidos do que representa cada peça no contexto maior, mas as peças estão lá, todas, muitas vezes escondidas por outras, ou imperceptíveis à nossa visão mais ampla, e outras vezes também prontas para serem encaixadas, sem que possamos enxergar a posição correta ou o local exato onde devem ser postas.

Aceitando que somos um caleidoscópio de personalidades, podemos compreender melhor nossas tendências e impulsos, percebendo, de forma mais nítida, que não viemos a este mundo completamente livres de qualquer influência ou determinante anterior. Somos, hoje, reflexo e conseqüência do que fomos ontem. E seremos,
amanhã, reflexo e conseqüência do que estamos sendo hoje.

Não há salto, não há milagre, não há novidade. Tudo se encadeia de tal modo que somos todos herdeiros de nós mesmos. Física, mental e espiritualmente. Herdamos de nós mesmos o que vivenciamos. E, no futuro, continuaremos a herdar aquilo que criamos e guardamos em nós mesmos.

Cada passagem pela vida física, não importa quanto tempo dure, é apenas um trecho da vida espiritual. É preciso compreender que somos espíritos vivendo diversas experiências carnais, que não passam de estágios de aprendizado, aperfeiçoamento e crescimento ESPIRITUAL. Jamais fomos seres carnais tentando alcançar a vida espiritual, pois a vida espiritual é a nossa origem, a nossa essência, de tal
modo que nascemos espíritos e, quando encarnamos pela primeira vez neste mundo, já éramos espíritos. E quando desencarnamos neste mundo, continuamos vivendo como espíritos, no mundo espiritual.

Assim, tudo o que precisamos hoje, para sermos melhores e nos sentirmos mais felizes, já está dentro de nós, dentro da nossa essência espiritual, dentro do nosso verdadeiro eu. Não há nada que possamos buscar fora, onde quer que seja, que já não esteja dentro de nós mesmos, ainda que temporariamente esquecido ou ignorado. O que falta é apenas coragem para acessar, encarar e trabalhar este conteúdo de forma consciente e equilibrada, participando ativamente do processo, sem que o conteúdo nos possua e determine as nossas ações por impulso.

A vida é uma só: a espiritual. E nela vivenciamos vários papéis, de forma tão intensa que julgamos ser as personagens que representamos. No entanto, as personagens não passam de pequenas parcelas, de diminutos momentos de algo muito maior, mais amplo e mais profundo. É como se, em nós, coexistissem todas as pessoas que já fomos, mais a que somos hoje, cada uma com seu perfil psicológico, sua história, seus sucessos e fracassos, mas todas se mesclando para "inventar" a pessoa que seremos amanhã.

O ator não é a própria personagem que representa, mas torna-se diferente a cada nova personagem, incorporando, à sua própria vida e atuação, aquilo que experimentou a cada papel.

Assim também o espírito, que não é nenhuma das personalidades que assume aqui na Terra, mas que torna-se diferente a cada nova personalidade, acrescentando, à sua própria essência e conduta, aquilo que experimentou a cada encarnação.

Maísa Intelisano

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Pensamentos de Mahatma Gandhi


Honra-me ter neste Blog uma personalidade que sempre admirei e cujos ensinamentos tento aprender para saber estar na Vida!

José Manuel Brazão



“O desejo sincero e profundo do coração é sempre realizado; em minha própria vida tenho sempre verificado a certeza disto”.


“Creio poder afirmar, sem arrogância e com a devida humildade, que a minha mensagem e os meus métodos são válidos, em sua essência, para todo o mundo”.


“Acho que vai certo método através das minhas incoerências. Creio que há uma coerência que passa por todas as minhas incoerências assim como há na natureza uma unidade que permeia aparentes diversidades”.


“As enfermidades são os resultados não só dos nossos actos como também dos nossos pensamentos”.


“Satyagraha – a força do espírito – não depende do número; depende do grau de firmeza.”


“Satyagraha e Ahimsa são como duas faces da mesma medalha, ou, melhor, como as duas faces de um pequeno disco de metal liso e sem incisões. Quem poderá dizer qual é a certa? A não-violência é o meio. A verdade, o fim.


“A minha vida é um todo indivisível, e todos os meus actos convergem uns nos outros; e todos eles nascem do insaciável amor que tenho para com toda a humanidade.”


“Uma coisa lançou profundas raízes em mim: a convicção de que a moral é o fundamento das coisa, e a verdade, substância de qualquer moral. A verdade, a substância de qualquer moral. A verdade tornou-se meu único objectivo. Ganhou importância a cada dia. E também a minha definição dela se foi constantemente ampliado."


"Minha devoção à verdade empurrou-me para a política; e posso dizer, sem a mínima hesitação, e também com toda a humildade que não entendem nada de religião aqueles que afirmam que ela nada tem a ver com a política."


"A minha preocupação não está em ser coerente com as minhas afirmações anteriores sobre determinado problema, mas em ser coerente com a verdade."


"O erro não se torna verdade por se fundir e multiplicar facilmente. Do mesmo modo a verdade não se torna erro pelo fato de ninguém a ver."


"O amor é a força mais abstracta, e também mais potente, que há no mundo."


"O amor e a verdade estão tão unidos entre si que é praticamente impossível separá-los. São como duas faces da mesma medalha."


"A arte da vida consiste em fazer da vida uma obra de arte."


"Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não haveria pobreza no mundo e ninguém morreria de fome."


"Vocês podem me acorrentar, torturar e até destruir meu corpo, mas nunca aprisionarão minha mente."


" olho por olho deixará todo mundo cego."

Mahatma Gandhi


Caminhemos … (dai-me forças!)


Tanto caminhei,
tanto amei
e amo,
tanto ajudei
e fui ajudado!

Tanto caminhei
procurando momentos felizes,
ver os outros nesses momentos
e ficar reconfortado!

E agora?

Caminho,
caminhemos (dai-me forças!),
com paz interior,
amor, sempre amor,
até ao sorriso final!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Chuva e lágrimas



Ouço chuva,
muita chuva!
Vou até à janela
e vejo:
Salpicos de água,
que parecem lágrimas
escorrendo pela minha face.
Olho o horizonte
que meus olhos alcançam:
tudo me parece tristeza;
ninguém na rua.
Vêm ao meu pensamento,
os que não têm casa
e que andam por aí …
A mãe natureza,
enviou chuva,
para lavarem:
as suas mágoas,
as suas angústias,
as suas esperanças vãs.
Parou a chuva,
mas pela minha face,
vão escorrendo lágrimas …

José Manuel Brazão

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Gratidão




Gratidão

Não é frase feita,
mas sentida,
por quem sabe
o que é o amor,
o carinho, a compaixão,
a solidariedade, a dor,
a tristeza.

Tudo isto
como coisas da Vida,
que nos contempla
ou nos entristece.

Nestas horas,
existem Amigos
e aparece a gratidão,
como uma virtude,
como uma atitude
que faz :
de amigos sempre,
a frase perfeita!

José Manuel Brazão

Amigos sempre!

Amigos,

já não passo
sem vós!

Cada dia
quando acordo,
sorriu
porque vivo
e por ter amigos.

Grande família
Conquistada
- entre Amigos -
que me rodeia,
me conforta;
que me serena,
me dá forças,
acalenta
e me dá amor,
com seus gestos
e seus carinhos!

Que posso pedir mais?

Que Deus
me deixe continuar
o meu caminho,
sempre na companhia
do amor
e das amizades…

José Manuel Brazão

Olhando



Fico olhando
para a vida
e não sei
o que pensar,
o que dizer…

Vagueio os olhos,
por aí…

… sem destino,
sem vontade
dum sentir,
dum viver
e dum sorrir!

Serei merecedor
de tudo, mas tudo,
o que sofro?

Reflicto
e nesta hora,
não encontro resposta!

Amo
e procuro ser amado…

José Manuel Brazão

"Olhos a vagar
coração a suspirar
encontro dentro de si
olhando o amor a consumir
buscando-o para existir"

Deixei aqui meus versos inspirados
no teu belo poema reflexivo e excelente

Beijinhos no coração
Angela Lugo

domingo, 15 de novembro de 2009

Sensibilidade



Nem todas as pessoas manifestam a sensibilidade tão objectivamente quanto se espera. Só aquelas que encontram ou descobrem em si, a criatividade artística, põem ao serviço do que escrevem, do que pintam, etc... esse potencial, esse dom.

Por essa razão, vivem um pouco solitárias, à espera da inspiração sensata e verdadeira, que transmitem por palavras, com o único objectivo de divulgarem ideias, alertas e muitas vezes denunciarem o caos, as assimetrias, as desigualdades, os direitos humanos, mas também divulgarem, a paz, a harmonia e o amor.

Os que escrevemos, somos pessoas vulgares, mas com a sensibilidade muito afinada, o que leva muitos dos que nos conhecem ou nos rodeiam, a não compreenderem a nossa forma de estar na vida . Pela minha parte, sou ajudado nessa matéria por duas amigas: uma de longa data e outra que conheci através do Cantinho da Poesia e passámos a ter uma lindíssima amizade, cheia de emoções e de mútua compreensão Para se escrever é necessário viver bem com os nossos sentimentos. Ela já conhece tudo o que escrevi e, portanto, conhece bem o que sou e, porque sou.

Procuro transmitir aos leitores tudo aquilo que não vivo em plenitude, mas que gostaria de ser um bom mensageiro para os outros.

A minha amiga escreve lindamente, sobretudo, com refinada inteligência, efeito próprio da sua forte sensibilidade.

Já vivi muitos anos nesta minha passagem pela vida, mas não me canso de melhorar o produto final do meu trabalho .

Escrever, é uma forma de generosidade e, sobre esse aspecto dar-me-ei todo, enquanto as faculdades mentais mo permitirem.

José Manuel Brazão

O amor verdadeiro



Fala-se hoje em dia, de forma um tanto crítica, naquilo que chamam de "amor romântico", como se fosse um tipo menor de amor, mesclado de infantilidades, de falta de bom senso, de fuga da realidade. Estive pensando muito sobre isto, pois me considero uma pessoa romântica, uma daquelas remanescentes, talvez, de uma época que já passou, dos chamados "anos dourados". O que ficou claro pra mim é que eu não reconheço amor sem muito carinho, muita ternura, confidências ao pé do ouvido, cumplicidade, respeito, troca de olhares sinceros da alma, simbolismos, beleza, delicadeza, muita amizade e tudo isto dentro de uma confidencialidade onde só os dois cabem! Enfim, acho que o amor verdadeiro nos conecta com a criança que nos habita e que nos tempos atuais da racionalidade, da busca desarvorada de um supérfluo que nos custa caro demais, está esquecida, chorando e pedindo pra ser ouvida, pelo menos quando estamos mais distanciados de todo este barulho e deste movimento excessivo, que nem cabe no tempo.

Amor que ama faz surpresas, sonha com letras de músicas, reconhece perfumes, busca se expressar em pequenos presentes, em toques cheios de carinho e de muita sensualidade também, nascidos de um desejo profundo que se extravasa, por não caber todo no coração...

Que pena que hoje se está perdendo o costume de fazer serenatas embaixo da janela da pessoa amada! Como é maravilhoso acordar com uma música apaixonada e terna sendo cantada por uma voz que reconhecemos, cheia de ternura e doçura, de ardor e desejo!
É tão bom sentir no olhar do outro a verdade de um sentimento que nada pede além da necessidade de ser revelado. É tão delicioso tocar alguém fora do momento de fazer amor, apenas pra lhe lembrar do quanto é amado.

Receber flores em momentos imprevistos, ser surpreendida por um telefonema no meio da noite, que nos acorda apenas para enviar um beijo e desejar uma noite de bons sonhos!
Dar presentes sem tanto valor material, mas cheios de pequenos detalhes que relembram momentos gostosos vividos e que assim se perpetuam...

Tudo isto parece que nos faz andar sobre uma passarela de flores, de magia e isto é o verdadeiro amor, que é romântico, sim, mas que não poderia ser vivido de forma diferente.
Aquele sentimento puro e ardoroso, que nos preenche, que nos ilumina inteiros, que nos faz príncipes e princesas de um verdadeiro conto de fadas, que precisamos saber cultivar com os pequenos detalhes românticos, no dia-a-dia.

Como amar se não for deste jeito? Será o amor um sentimento capaz de sobreviver sem todo este doce mistério, sem esta doação de essências, sem este alimento que vem do fundo de nosso espírito e que se estabelece, simplesmente, sem teorizações, sem explicações, sem porquês, sem nada...

O AMOR VERDADEIRO É! E se expressa usando de todos os recursos de beleza e criatividade, de pureza e doçura, de poesia, de romantismo.

Estou escrevendo e percebo muito azul em torno de mim, uma vibração potente e ao mesmo tempo frágil, que pede para se manifestar em nossas vidas, pra levar, de vez, pra longe, o que houver de violência, de tristeza e de dor.

Viva o amor que pede passagem na vida de cada um, com muito romantismo, muito olho no olho, muitas carícias e muita cumplicidade. Pra que isto aconteça assim, precisamos nos dar um tempo... Abrir um espaço em nossas vidas, acreditar no incomensurável, no sentimento, naquilo que o coração expressa com força, apesar de todo o desequilíbrio e violência de tantos à nossa volta. Precisamos soltar os nossos corações, tantas vezes aprisionados pelo medo.

por Maria Cristina - tina.lc@hotmail.com

Olhando



Fico olhando
para a vida
e não sei
o que pensar,
o que dizer…

Vagueio os olhos,
por aí…

… sem destino,
sem vontade
dum sentir,
dum viver
e dum sorrir!

Serei merecedor
de tudo, mas tudo,
o que sofro?

Reflicto
e nesta hora,
não encontro resposta!

Amo
e procuro ser amado…

José Manuel Brazão

"Olhos a vagar
coração a suspirar
encontro dentro de si
olhando o amor a consumir
buscando-o para existir"

Deixei aqui meus versos inspirados
no teu belo poema reflexivo e excelente

Beijinhos no coração
Angela Lugo

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Sinto saudades do futuro




Saudades
Palavra tão intensa,
que viveu sempre comigo,
quer por um amigo,
quer pela família imensa.

Saudades
da vida que escolhi
e nem sempre vivi ...

Saudades
da vida com alegria
que vivia.

Saudades
do amor ao próximo,
da tolerância,
da humildade,
do perdão.

Batendo o meu coração,
como um homem de Fé,
sinto saudades da Esperança,
sinto saudades do Futuro ...

José Manuel Brazão

De mãos dadas




“ De mãos dadas “

Passa o tempo
e nós
sempre juntos,
sempre unidos
para o bem,
e para o pior,
solidários, solitários …

Não te deixo,
não me deixas.
Nossos corações batem,
cada vez:
que penso em ti
e tu pensas em mim!

Estendemos as mãos
para nos aproximarmos.
Puxam nossos corpos,
mas não conseguem!
O nosso amor
é superior!
Estaremos Aqui ou Além,
como sempre
de mãos dadas!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Derramo Amor




Não chega dar amor,
derramo amor…

Dou o meu corpo
e a minha alma,
por este mundo,
intolerante e indiferente
que me faz impaciente.

Uso a palavra,
como um grito dorido,
que ecoe pelos céus,
atravesse continentes
e abane os “inteligentes”!

Não descansarei:
pelas novas gerações,
pelo seu futuro!

Que lhes deixamos?
Inveja, cobiça,
ódio …

Minha esperança
empobrece,
mas ganharei forças
e continuo,
continuarei derramando amor,
pelos nossos filhos,
pelos nossos netos …

Acompanhem-me…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Como vivo na Poesia


Tão simples a minha vivência com e na Poesia!

Quando comecei a escrever poemas, admirado com o que estava a suceder-me naquela altura da Vida – sempre escrevi prosa – mostrei a pessoas autorizadas na matéria e uma delas disse-me: mas você tem um dom. O poema está muito bom! Continue e verá!

Assim, nasceu a poesia em mim!

Não mais parei, mas sempre com o pensamento que isto seria mais uma missão na minha Vida!

E por missão nunca recebi um cêntimo por publicações e colaborações neste mundo da Poesia!

Entendi alargar esta missão criando um Blog “No caminho das emoções” por onde passassem os Autores consagrados e Autores meus convidados tendo por objectivo apresentar poesia de qualidade e Autores que eu respeitasse e admirasse o seu trabalho!

O Blog foi criando uma dimensão tal, que nunca imaginei! Visitantes desde a China ao Brasil!

Muitos Colegas perceberam a minha intenção de divulgar ao máximo a Poesia,
Poucos não perceberam a minha ideia!

Interesso-me pelos muitos!

Em Janeiro deste ano tive necessidade de criar o Blog “Poesia com emoções” para concentrar os meus textos e que já são centenas”!

Não posso deixar de realçar que conto com duas poetas residentes: Vanda Paz e Marta Vasil, dois pilares na minha vida pessoal e na minha vida com e na Poesia!

As manifestações de carinho, simpatia e até muita ternura vieram modificar no bom sentido, a minha tão simples vivência com e na Poesia!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Porta da Vida



Abro
a porta da vida!

E que encontro?

Tudo
o que não desejo
para mim,
para os outros
e para o futuro;
o nosso destino!

Tudo
o que não avança,
que cheira a retrógrado,
a saudosismo,
a egoísmo,
a inveja, a desamor,
com indiferença
muita indiferença,
pela justiça social!

Tudo
que os homens
podem conquistar,
mas a cobiça
dos encapuçados
deixam-nos violados,
por momentos…

A nossa consciência,
ficará desperta
para uma nova era,
que nos libertará!

Pela porta da Vida
Luz entrará;
um clarão de Amor,
de justiça entre os Homens…

Assim seja!

José Manuel Brazão

Chave da Vida



Ninguém
é dono de nada.
Nem de si
nem da Vida!

Caminhamos,
vagueamos,
por este
e aquele caminho,
mas
quando paramos,
encontramos
muitas portas,
procuramos a nossa,
parecem todas iguais!

Mas há uma,
com muita Luz;
aproximamos dela,
procuramos a chave,
não a encontramos!

Como entramos?

É Ele que tem a chave,
a chave da Vida…

José Manuel Brazão

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Serei assim até ao fim!


Nesta caminhada,
aprendi o bastante,
para nesta vida constante,
me entregar!

Errei.
muitas vezes
Por imaturidade,
ignorância,
rebeldia,
mas nunca por saber tudo !

Procurei
compreensão,
tolerância, compaixão!
Pouco recebi…

Virei
a página da vida,
que me enganava,
me torturava,
sem saber o porquê?

Mudei
sinto-me bem comigo
e com os outros!.
Cada porta fechada,
agora está aberta!
Respiro
como nunca respirei!
Dou um sorriso
e recebo muitos!
Dou amor
recebo muito;
com carinho,
afecto, beijo,
sorriso e respeito!

Encontrei
o equilíbrio, a lucidez,
para me entregar
aos outros
que amam
ou que de mim precisam!
Dou
sem nada pedir!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Universo do Amor


(Clique imagem)

Compreendo



Pelas minhas posições perante a Vida poucas pessoas me compreendem.
É um grupo muito restrito.

Pessoas que convivem comigo há muitos anos, mas tenho um caminho a percorrer. Uma missão a cumprir.

No meu cantinho faço constantes auto-reflexões para tentar melhorar os pontos fracos (corrigir os meus erros). Tarefa difícil, mas convém persistir!

Naquilo que estamos bem na vida, aí ganhar forças para prosseguir!

Neste aspecto de “estar bem com a vida” tenho muita gente a rodear-me; em cada dia conquisto pessoas que com o tempo se tornam meus amigos!

A esses vivo no meu silêncio as suas alegrias e as tristezas. Como se fossem minhas!

Esses amigos sentem que eu os compreendo e confortam-se por serem compreendidos.

Está em mim a facilidade da compreensão como se as conhecesse há muito tempo.
Algumas só as conheço através da Net, mas nasce uma “magia” como se nos conhecêssemos há muito tempo! Imagino-as!

Nasci e quero terminar o meu caminho com a maior evolução possível em que prevaleça o amor, tolerância e compreensão! Compreendo…

José Manuel Brazão

domingo, 1 de novembro de 2009

Forever friends



Há amigos e amigos! E eu já tinha saudades das minhas amigas!!!
Passaram uns anos desde que não estávamos as 4 sozinhas na fofoca...e soube mesmo bem! Por momentos pareceu que não tinha passado mais do que uma semana. As mesmas conversas, os mesmos problemas, os mesmo dilemas...e uns aninhos a mais. Quando estamos separadas cada uma tem a sua vida, a sua rotina de trabalho e os seus afazeres. Por vezes a vida afasta-nos de algumas pessoas que por não partilharem dos mesmos interesses acabam por ir em direcções opostas às nossas. Outras vezes, estamos tão envolvidas com os nossos planos e vida afectiva que nos esquecemos de intercalar o convivio com os amigos. Noutras altura ainda, estamos tão tristes e deprimidos que escolhemos isolar-nos do mundo. Mas isso agora acabou! Estamos a chegar ao fim deste ano e chegou a altura de ponderar o ano de 2008. Fazer um balanço dos factores positivos e negativos do ano que passou é crucial. Há sempre coisas que têm que ser mudadas, quer queiramos quer não. Tudo o que nos fizer mal deve ser afastado, o que nos fizer bem deve ser sublinhado e devemos pensar no nosso bem estar! Por isso meninas, a convocatória foi feita, está a ser redigida e deverá ser assinada. Espero-vos no sítio do costume, à hora do costume.
Os verdadeiros amigos são para sempre!

Vera SOL

A Amizade e o Amor



Viviane Lima nossa habitual visitante ao ler o poema "Rosas da minha vida" reagiu com um poema que nos presenteou!

A Amizade e o Amor

Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.
Viviane Lima

sábado, 31 de outubro de 2009

Comemorou-se o Dia Mundial do Cancro da Mama



A grande Amiga Luisa Martins pela experiência vivida faz neste texto um depoimento importante com a finalidade de alertar as Mulheres deste País em termos de prevenção!
Muito Grato e Beijos Luisa
José Manuel Brazão


Tenho-vos a dizer minhas amigas, que este dia é só um em 365 dias do ano, mas para todas nós mulheres, em todos eles nos devíamos preocupar com este assunto, ou melhor dar mais e melhor atenção a esta doença que mata milhares de mulheres em todo o Mundo.
Falando no meu caso, há 15 anos fui operada, fazendo uma mastectomia radical. Fui eu que detectei um nódulo na minha apalpação, que ainda hoje faço regularmente, ficando na altura, como é natural, muito apreensiva. Logo me pus com atenções redobradas e a tratar de imediato de fazer exames. Vejam só, tinha feito uma mamografia há cinco meses atrás e nada era visível. Ía de 6 em 6 meses á médica de genecologia, fazia todos os exames, e aconteceu.
Ficamos muito aterrorizadas quando nos é diagnosticada tal doença, mas digo-vos que depois da nossa cabeça só pensa na cura. Passa-se por estados e emoções muito fortes, mas tudo isso nos dá fé, força, alento, para continuar, acreditem.
Tudo isto para contar um pouco, só um pouquinho da dor que passei, passam e passarão várias mulheres em todo o Mundo, se não começarem a dar mais atenção a este assunto.
Ainda hoje já passados 15 anos, faço o meu “check-up” anual, e continuarei a fazer sempre, enquanto estiver viva.
Este meu pequeno texto é principalmente para chamar a atenção a todas as mulheres para efectuarem o “Rastreio”, que está ao alcance de todas, uma vez por ano. Não tenham medo. Se precocemente for detectada alguma anomalia é mais provável a sua cura, se não existir nada tanto melhor. Não tenha medo, pois detectado a tempo não será um pesadelo, mas sim um alívio.

Luisa Martins

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Rosas amarelas (nunca estarei só)!


São as rosas que gostas:
rosas amarelas!
Belas
como o teu olhar,
o teu sorriso.
Belas
como os teus gestos,
as tuas atitudes.
Belas
como o teu amor!
Vejo rosas,
rosas amarelas,
ao meu redor.
O seu aroma
é o teu perfume.
Perfume que não me deixa
e, tu que não me abandonas!

(pensando no meu filho João que nasceu em 6.OUT.1972 e partiu
na viagem necessária em 24.AGO.1997)


José Manuel Brazão

Imagem gentilmente concebida pela minha Amiga e Colega Maria Liberdade!

Saudade é um mal de que se gosta e um bem de que se padece !



Saudades! Quem as não tem?

Eu tenho as duas a que dei título.

Gosto de ter saudades de todos os que amo, daqueles que me amam, dos que gostam de mim, dos que me acarinham e que eu procuro corresponder de coração aberto.
Padeço de saudades por aqueles que amo e estão distantes de mim. Alguns, após estarmos juntos, já me deixam nessa situação: com saudades e ansioso pelo próximo encontro.
Por ti, João:

Sinto ambas. Gosto de ter saudades do meu filho, mas como te sinto muito próximo, não padeço tanto!
As minhas saudades por ti são uma cumplicidade com o silêncio e com o Universo!
Quando estou a editar e publicar o Blog és o meu companheiro, porque a flor e a cor que gostas é a rosa amarela. O logo deste Blog é um ramo de rosas amarelas.

Porque és o meu companheiro?
Quando abro o Blog olho logo para as rosas e vejo a tua imagem. Sorrio para ti e as rosas amarelas ficam mais viçosas...

Fica em Paz e com muita Luz

José Manuel Brazão

Amigos para sempre!


Amigos,
já não passo
sem vós!

Cada dia
quando acordo,
sorriu
porque vivo
e por ter amigos.

Grande família
Conquistada
- entre Amigos -
que me rodeia,
me conforta;
que me serena,
me dá forças,
acalenta
e me dá amor,
com seus gestos
e seus carinhos!

Que posso pedir mais?

Que Deus
me deixe continuar
o meu caminho,
sempre na companhia
do amor
e das amizades…

José Manuel Brazão

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Um dia talvez...!



Não há dia
ou noite,
que não pense
em ti…

Pelo teu sorriso,
pelas tuas palavras,
pela tua ternura,
sinto a tua voz,
a tua presença,
próximo de mim!

Um sonho,
uma esperança,
uma saudade
e uma ansiedade,
à espera
de um amor,
vestido de anjo,
que me leve,
um dia,
um dia talvez!

José Manuel Brazão

Os espelhos da Vida


A gente passa muito tempo pela vida sem perceber como o Universo em sua perfeição infinita nos dá tudo que precisamos para crescer, de uma forma precisa.

Fugimos léguas de nos olhar nos espelhos que a vida nos oferece a cada dia porque lá no fundo sabemos que ali vamos enxergar a nós mesmos...

E, às vezes, é muito mais fácil colocar a culpa de tudo que nos acontece nos outros a ter que assumir responsabilidade sobre o que experimentamos na vida...

Mas quando temos consciência que tudo aquilo que nos acontece é, de uma forma ou de outra, responsabilidade nossa, isso nos dá a possibilidade de mudar a nossa realidade.

Quando despertamos para o fato de que os acontecimentos ao nosso redor e, as pessoas também, são espelhos para partes nossas que não conseguimos enxergar, isso faz uma diferença enorme.

A partir de então, agradecemos ao Universo quando nos deparamos com coisas que nos incomodam, porque sabemos que ali, ao invés de incômodo, existe na verdade uma chave para que a gente se conheça mais um pouco... Não podemos mudar o outro... mas, sempre podemos transformar em nós o que nos incomoda no outro e isso muda tudo ao nosso redor, inclusive "os outros".

Não adianta fugir desses espelhos que a vida nos oferece para o nosso crescimento, porque eles sempre voltam, como outras pessoas ou situações, que vão refletir exatamente algo que pede por transformação e que vai fazer com que nossa consciência se amplie mais um pouco.

Quando nos abrimos para receber todo o aprendizado que a vida nos oferece vamos nos encantar como tudo pode se tornar muito mais leve e como esse aprendizado pode ser mais divertido.

Experimente jogar com vida... um jogo de crescimento.... Deixe de lado todo julgamento e os preconceitos e desperte a cada dia sabendo que existe algo para você descobrir sobre você mesmo e que as pistas vão vir através dos reflexos do espelho fornecidos pelas outras pessoas.

Não fuja dos espelhos... não adianta, porque você só está adiando um processo de curas profundas.
Lembre-se sempre: o que você vê de errado no próximo também existe em você, somos todos Um, portanto toda cura é autocura. Na medida em que você melhora o mundo também melhora. Assuma esta responsabilidade. Ninguém mais precisa fazer este processo, só você.

Quando há situações desconfortáveis, há uma técnica muito simples e interessantíssima, pelos resultados. Você diz: "Divino Criador, pai, mãe, filho em Um... Se eu, minha família, meus parentes e ancestrais ofendemos à sua família, parentes e ancestrais em pensamentos, palavras, atos e ações do início da nossa criação até o presente, nós pedimos seu perdão... Deixe isto limpar, purificar, libertar, cortar todas as recordações, bloqueios, energias e vibrações negativas e transmute estas energias indesejáveis em pura luz... Assim está feito."

Você assim neutraliza a energia que você associa à determinada pessoa, lugar ou coisa. No processo, esta energia é libertada e transmutada em pura luz pela Divindade. E dentro de você o espaço vagado é preenchido pela luz da Divindade. Então, nesta prática não há culpa, não é necessário reviver sofrimento, não importa saber o porquê do problema, de quem é a culpa, sua origem.

E, pouco a pouco, esse jogo de olhar no espelho da vida vai se tornando cada vez mais claro e mais natural... e vamos nos rendendo à infinita sabedoria do Criador que sempre nos proporciona o que precisamos... na hora certa... nem mais... nem menos.

Nelson Matheus Silva

Como um girassol




Procuro a luz
como um girassol.
Procuro a luz
que brilha o meu coração!
Parece distante,
mas está próxima...
Como um pássaro,
procuro-a:
Está dormindo,
sonhando com o mar...
O mar que a fascina,
onde tantas ondas,
deram em poemas...
Conheço esse mar
e envolvo-me
com as suas ondas;
regresso
para mais um poema:
não com rosas,
mas com girassóis!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O choro pode durar uma noite...


Pela noite
vem a magia,
o silêncio,
a reflexão!

Vem a a Lua,
com a paixão
e o amor!

Vem a nostalgia,
com a tristeza
e o choro!

Vem o sonho
de ideais, ambições,
lutas:
conquista ou derrota,
mas com a esperança
que o amanhecer
traga a alegria
de um novo dia,
que faça esquecer,
aquele choro…!

José Manuel Brazão

Poema baseado numa frase pública de NANDA Salles:
“O choro pode durar uma noite…
mas a alegria vem ao amanhecer…”

sábado, 24 de outubro de 2009

Acordai para o Amor!


Caminhamos,
distraídos
e indiferentes!

Que se passa?

Pessoas com fome,
barricadas na guerra,
guerra de interesses
e não de justiça,
pessoas carentes
da nossa mão,
da nossa fraternidade,
do nosso olhar,
do nosso amor.
Sim, Amor!

Acordai para o amor!

José Manuel Brazão

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Amor distante e tão próximo


Aprendi na minha vida,
a amar distante e próximo!

Não sei distinguir
qual o mais intenso,
mas sei,
que basta ser amor,
para ser imenso!

Aprendi na minha vida,
a dar
sem nada pedir!

Darei a todos
pétalas de uma flor especial:
a Vida!


José Manuel Brazão

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Sinto-me só, mas...!



Sinto-me só,
mas eu compreendo;
sofrendo.
deixa-me sinais no meu corpo,
na minha mente.
Por vezes inquietante
e outras angustiante.
Fecho os olhos:
medito e recordo
o passado pouco distante,
vejo as imagens
dos amados que partiram;
vejo as imagens
dos amados que ficaram.
Nesse instante
não me sinto só!
Mas preciso de viver,
amando e ser amado,
por aqueles que pairam
comigo neste cativeiro terreno
e pelos outros que já pairam
ainda sem mim num mundo mais feliz!
Assim sente:
meu corpo e minha mente!

José Manuel Brazão